sexta-feira, 4 de setembro de 2015

MINÉRIO

PLATINA
Elemento nativo. Pt. Sistema cristalino: isométrico, hexaoctaédrico.  Os cristais de forma cúbicos são raros e, malformados. Ocorrência: a platina é um metal raro que ocorre quase exclusivamente no estado nativo. Aparecem em pequenos grãos, lâminas e em fragmentos soltos. Em outras regiões se dá nas formas de massas irregulares e pepitas de bom tamanho. Dureza: 4 a 4,5.  Densidade: 21,45 quando pura e, 14 a 19 quando nativa. Cor: branca prata ou cinza prata. Traço: branca de prata. Brilho: brilho metálico reluzente. Diafaneidade: opaco. Fratura: áspera. Clivagem: nenhuma. Origem: em rochas ígneas, normalmente como minérios nos quais os grãos de platina são frequentemente muito pequenos a olho nu. Mais usuais em depósitos aluviais com cascalhos de rio. Inerte quimicamente, resistente à corrosão, dureza superior e de seu elevado ponto de fusão, 1.755°C. Levemente magnética. Diferente da prata, a platina não escurece quando exposta à atmosfera. Conhece-se apenas um mineral, composto natural raro, de platina e arsênico, a sperrylita (PtAs2). As principais ocorrências são África do Sul, Alasca, Austrália, Brasil, Canadá, Colômbia, Peru e Rússia. Descoberta na Colômbia foi levada para a Europa em 1.735, onde recebeu o nome de platina, do diminutivo de plata (prata em espanhol), por causa de sua semelhança com a prata. Usa-se para instrumento de laboratório, eletricidade, medicina, odontologia e em joalheria. Foto gentilmente cedida pela Crystal Classics.

Nenhum comentário:

Postar um comentário