quarta-feira, 3 de junho de 2015

MINÉRIO

ACANTITA

Sulfeto de prata. Ag2S. Sistema cristalino: monoclínico. A acantita é um polimorfo da argentita, ou seja, é o mesmo mineral de prata. A mesma fórmula química, porém, foram cristalizados em temperaturas diferentes. A acantita se cristaliza em ambiente inferior a 179°C e a argentita acima desta temperatura de 179°C. Descrito em 1.855. Etimologia: seu nome deriva do grego “akantha”, significando espinho, referindo as formas características dos cristais. Porcentagem química: Ag 87,06% + S 12,94%. Cor: cinza de chumbo, prateado e preto. Rastro: risco preto brilhante. Dureza: 2,5. Densidade: 7,4. Fratura: sub-concoidal. Clivagem: indistinta. Tenacidade: séctil. Diafaneidade: opaco. Gênese: se apresenta em jazimentos hidrotermais de baixa temperatura, em veios de sulfetos e com outros minerais de prata. Pode coexistir com o chumbo e o ouro. Característica: um importante mineral de prata. Usos: em componentes eletrônicos, amálgamas dentárias, espelhos, filmes fotográficos, radiografias de raios X, colírios e na joalheria. Há indícios que a prata já era manuseada 3.000 anos a.C. na Grécia e Turquia. É um dos minérios citados na Bíblia, no Antigo Testamento (crônicas 20, 21 e 24). O revestimento superficial (verde) é de malaquita. As duas fotos são da mesma rocha só que fotografadas em focos diferentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário